Imprensa

Comitiva de empresários do FINDES visita o Porto do Açu

Objetivo do encontro foi promover o intercâmbio entre as empresas visitantes e as instaladas no empreendimento

30 de novembro de 2017

Representantes de 20 empresas capixabas foram recebidos, hoje, no Porto do Açu. A comitiva, organizada pela Fundação das Indústrias do Espírito Santo (FINDES), conheceu a infraestrutura do Porto e as demandas das empresas instaladas no empreendimento. O grupo visitou os terminais de Minério de Ferro (Ferroport), de Petróleo (T-OIL) e Multicargas (T-MULT), além da área destinada aos clientes. Durante o encontro, os empresários tiveram a oportunidade de se apresentar e mostrar seus serviços e produtos. As empresas do Complexo Portuário também apresentaram suas necessidades.

FINDES 3.jpgPara Rafael Pinho, consultor comercial do Porto do Açu, esta troca é positiva para ambos os lados: “O nosso objetivo é estreitar o relacionamento das empresas em operação no Porto com empresas que têm experiência no mercado. É identificar os empresários que têm potencial para se tornar possíveis fornecedores do Complexo ou, até mesmo, para se instalar futuramente no empreendimento”, afirmou Pinho.

Ao final da visita, os empresários puderam detalhar os seus serviços para as áreas de Suprimentos das empresas instaladas no Porto. A intenção foi viabilizar, a partir desta primeira visita, a possibilidade de novas parcerias comerciais.

FINDES 5.jpgPara o gerente de Suprimentos da TechnipFMC, Marco Perez, o evento foi muito proveitoso. “É extremamente válido este tipo de encontro, porque ele propicia uma ampliação da relação comercial entre cliente e fornecedor. Nós tivemos a oportunidade de conversar com cada empresa interessada e o nosso comprometimento é apresentá-las a nível de América Latina, estendendo seus serviços às demais unidades da TechnipFMC”, garantiu.

O vice-presidente da FINDES, Luiz Toniato, acredita que o encontro é uma oportunidade de criar condições para gerar futuros negócios: “Este intercâmbio é proveitoso tanto para as empresas do Espírito Santo, que puderam expor o seu potencial, quanto para as empresas instaladas no Porto, que passam a contar com um conjunto de possíveis fornecedores gabaritados, que já atuam para grandes companhias do setor”, ressaltou.