Imprensa

Recorde de investimentos no Porto do Açu

Empreendimento recebeu R$ 633 milhões no 1º trimestre de 2014

14 de maio de 2014

A Prumo
divulgou hoje (14) os resultados do 1º trimestre deste ano. De janeiro a março,
o Porto do Açu recebeu investimentos de R$ 633,7 milhões (incluindo juros
capitalizados). O montante é o maior já investido em um único trimestre desde o
início da construção do empreendimento, em 2007.

“O
investimento realizado neste trimestre, reflete o grande avanço físico das
obras de construção do Porto do Açu. A conclusão da dragagem da extensão do
canal do T2, junto com os 900 metros de cais dos nossos clientes, reforçam que
o Porto do Açu está com a infraestrutura pronta para começar a operar nos
próximos meses”, destaca Eduardo Parente, presidente da Prumo.

O avanço
dos investimentos e do ritmo das obras, também reforça a confiança dos clientes
no Porto do Açu. Somente neste início de ano, já foram assinados dois
importantes contratos comerciais, com Edison Chouest e BP, que trazem receita
adicional com o aluguel de área, além de uma expectativa de grande fluxo de
embarcações para o canal do Terminal 2 (T2 – terminal onshore). A assinatura
destes contratos reforça a competitividade do Porto do Açu como a melhor
alternativa como um polo de serviços para a indústria de O&G.

Investimento

Do total
de R$ 633,7 milhões investidos no 1º trimestre deste ano, R$ 204 milhões foram
aplicados pela LLX Minas-Rio (Joint Venture formada 50% pela Prumo e 50% pela
Anglo American), responsável pelo desenvolvimento do Terminal de minério de
ferro do Porto. O restante (R$ 429,7 milhões) foi aplicado pela Prumo na
construção do Terminal 2 e infraestrutura do Porto do Açu (dragagem do canal do
T2, construção de cais e quebra-mar, linha de transmissão de energia, entre
outros).

Desde o
início da construção, em 2007, até março deste ano, já foram aplicados R$ 5,8
bilhões no empreendimento. Destes, R$ 2,8 bilhões foram investidos pela LLX
Minas-Rio e R$ 3 bilhões pela Prumo.

Trimestre

Entre os
principais destaques deste ano, está a formação de um novo time executivo. Em
março, Cristiane Marsillac assumiu a diretoria de Operações com o desafio de
comandar a operação do Porto do Açu. No mesmo mês, foi criada a Diretoria de
Desenvolvimento, comandada por Marina Fontoura, que possui grande experiência
no desenvolvimento de novos negócios. Ainda em março, Jorge Camargo,
ex-presidente da Statoil e ex-diretor da Petrobras, foi indicado para o
Conselho de Administração da Prumo. Todas as mudanças refletem a nova fase da
companhia, que desde fevereiro é comandada por Eduardo Parente, ex-MRS e
McKinsey.

Resultado
trimestral

No
primeiro trimestre, a Prumo apresentou uma receita líquida de R$ 17,2 milhões,
referente ao aluguel de área a seus clientes Technip, NOV, Intermoor, Wartsila,
Eneva e OSX. As despesas administrativas reduziram 18%, em comparação com o
mesmo período do ano anterior, caindo de R$ 34 milhões para R$ 28,2 milhões. As
despesas financeiras somaram R$ 22,8 milhões, compostas principalmente de
despesas com pagamentos de juros relativos a empréstimos bancários e variação
monetária.

A Prumo
terminou o primeiro trimestre de 2014 com um saldo em caixa e equivalentes de
R$ 374,4 milhões. No período, a companhia registrou prejuízo líquido de R$ 13,1
milhões.

Porto do
Açu

Com 17 km
de píeres, que poderão receber até 47 embarcações simultaneamente, o Porto do
Açu está em construção em São João da Barra, no norte fluminense. Com área de
90 km², o empreendimento é formado pelo Terminal 1 (T1 – offshore) e pelo
Terminal 2 (T2 – onshore).

O T1 será
composto por uma ponte de acesso com 3 quilômetros de extensão, píer de
rebocadores, 9 píeres para movimentação de minério de ferro e petróleo, canal
de acesso e bacia de evolução. Destes, a ponte, 2 píeres para minério de ferro,
o píer de rebocadores, o canal de acesso e a bacia de evolução já estão
concluídos. O 1º embarque de minério no Porto do Açu está previsto para o
segundo semestre deste ano.

O T2 está
sendo instalado no entorno de um canal para navegação, que conta com 6,5 km de
extensão, 300 metros de largura e profundidade atual de 7,5 metros (chegando,
na sua maior profundidade, a 14,5 metros). No local estão em andamento às obras
para construção do canal de acesso, bacia de evolução, construção dos blocos de
concreto que serão utilizados no quebra-mar e a implantação da linha de
transmissão. Com mais de 13 quilômetros de cais, o T2 irá movimentar ferro
gusa, carga de projetos, carvão mineral, veículos, granéis líquidos e sólidos,
carga geral e petróleo.

Com características
únicas, como grande profundidade, localização estratégica e infraestrutura
eficiente, o Porto do Açu se apresenta como a principal solução para a
instalação de empresas do setor de O&G. No Porto poderão ser instaladas
bases para movimentação e tratamento do petróleo, base de apoio para as
operações offshore de E&P e polo metalmecânico dedicado à indústria de
Petróleo e Gás.

O início
de operação do Porto do Açu está previsto para junho deste ano, com a operação
de unidades dos nossos clientes já instalados no canal do T2.